O vôo do chef

Blog gastronômico

Suflê de doce de leite e um exorcismo!

with 2 comments

Dia da independência, já são umas 20:30 h. Hoje não foi um dia legal, apesar do sol incessante o dia inteiro, parecia daqueles dias cinzentos e frios com um chuvinha chata que incomoda o dia inteiro. Como costumam dizer, acordei azedo, sem graça, funcionando no automático. Isto mata a Ana e os meninos. Mas fazer o que? Às vezes as coisas apenas acontecem! Eu sou um cara meio rebelde, não aceito as coisas normalmente, questiono tudo e todos! Já fui acusado de ser rebelde sem causa, líder sindical etc. Costumo dizer até de forma meio arrogante que não faço as coisas para me dar bem, mas sim pensando no bem geral. Não troco um hospital ou escola por um milheiro de tijolos como na propaganda, acho que do MPF. Só que a grande maioria é massa de manobra, ainda tem a maldita lei de Gérson embutidas nos seus DNA’s. Ainda tem a saudade insuportável que sinto da minha mãe, os episódios ruins dos últimos 5 anos e a crise dos 40 anos. Daí junto tudo num pote e fico ruminando que nem uma vaca velha! Encostada na cerca e deixando o tempo passar.

Já que exorcizei o dia, vamos falar sobre gastronomia. Ontem comecei a ler um livro muito legal, “Aprendiz de Cozinheiro” de Bob Spitz. O cara que levou oito anos para escrever a biografia dos Beatles. Neste processo acabou se separando e como gostava de cozinhar, acabou se refugiando na cozinha e cozinhando todas as sextas-feiras para um seleto grupo de amigos. Depois de inúmeros encontros a base de receitas recortadas de publicações a fim. Apesar dos elogios de todos, acabou se convencendo que cozinhava mal e que todos elogiavam para não magoar, ou para não perder a boca livre. Daí decidiu ir para Europa aprender a cozinhar. Confesso que ainda estou na página 93, estou gostando e até aprendendo a escrever um pouquinho melhor. Até lembrei-me de um filme que não me lembro do título, mas se passava na Itália em lugares paradisíacos. Era a estória de um cara que trabalhava em uma editora em New York e tinha que convencer um autor famoso a voltar a escrever. O legal é que neste processo ele acaba realmente aprendendo a escrever e tornar o seu sonho realidade, além de ter um baita romance com a filha maravilhosa do autor.

Cozinhei sábado na casa de um amigo. Fui convidado para jantar desde que eu cozinhasse. Os pais deste meu amigo estão em Brasília para visitá-lo, são de Bagé-RS. Poderia fazer qualquer coisa desde que tivesse CARNE. Então fiz Risoto de açafrão em pistilos, Filé ao molho de vinho e batatas Hasselback. A salada, o Maurício fez, do jeito que já havia ensinado. Mix de baby folhas hidropônicas, cebola roxa, tomatinhos cereja, azeitonas pretas portuguesas e mussarela de búfala (por conta dele). Temperada com raspas de limão siciliano, o suco do limão, sal gourmet, pimenta do reino moída na hora e um belo azeite extra virgem. De sobremesa fiz uma belíssima e saborosa Suflê de doce de leite. Já que vocês tiveram que engolir o meu exorcismo, nada mais justo de repassar esta receita.

Suflê de doce de leite com calda de queijo!

Ingredientes da calda de queijo

500 Ml Creme de leite fresco
80 Gr Cream cheese (1/2 pote)
O quanto baste   Leite
1 pitada sal

 

Modo de preparo

Coloque o creme de leite e o cream cheese em uma leiteira. Coloque em fogo baixo e misture até incorporar. Coloque colher a colher o leite até que o creme resultante fique leve. Coloque uma pitada de sal e desligue o fogo. Reserve para esfriar. Pode até colocar um pouco na geladeira.

Ingredientes do suflê

500 Gr Doce de leite em temperatura ambiente
8 Unidade clara
1 Pitada Sal
O quanto baste   Manteiga para untar os ramequins (potinhos)

 

Modo de preparo

Pré-aqueça o forno a 180º. Separe 8 claras de ovos em temperatura ambiente. Coloque em um bowl(vasilha) bem limpo e seco as claras. Bata na batedeira até formar picos quase duros. Quando começarem a subir os picos adicione uma pitada de sal. Misture com cuidado e leveza às claras com o doce de leite. Unte os ramequins com a manteiga. Coloque a massa até a metade de cada potinho. Bata cada potinho na pia com cuidado para assentar a massa. Leve ao forno por cerca de 10-12 minutos. Quando estiver crescido aumente o forno para 220º. Deixe mais 1-2 minutos e sirva. Não se esqueça de servir a calda junto. Dá um contraste muito legal, quente e doce com frio e salgado.

Abraços!

Written by ovoodochef

setembro 7, 2010 às 9:59 pm

Publicado em Receita

2 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Fiz hoje o goulash….ficou 10!!! muito obrigado…

    abracao e tudo de bom

    Ney

    Ney Barros

    setembro 7, 2010 at 10:08 pm

  2. Own papiii, sabia que você tava borocoxô, sabe que to aqui pra tudo né? te amo demaisss

    Izadora

    setembro 8, 2010 at 5:37 pm


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: